5 tendências de liderança para 2022

Publicado originalmente em entrepreneur.com

Conforme nos planejamos para este ano, é hora de refletir sobre o quanto a pandemia abalou o mundo. Líderes estão adotando a mudança voluntariamente, inspirados a expandir seus negócios de uma nova maneira. Outros estão sendo forçados a pensar e agir de uma maneira diferente, esperando desesperadamente que as coisas voltem ao normal. 

Mas nunca vamos voltar ao normal, e nem devemos querer. A sociedade enfrenta desafios sem precedentes à medida que lidamos com desigualdade, mudanças climáticas, sistemas de saúde e cadeias de suprimentos em ruínas, escassez de mão de obra, avanço de tecnologia como Inteligência Artificial e sistemas políticos polarizados.

O peso desses desafios pode ser esmagador e motivador ao mesmo tempo. E é hora dos líderes refletirem sobre se a maneira como se faz coisas está funcionando. Temos que mudar a forma como administramos nossos negócios, como tratamos nosso pessoal e como impactamos o planeta.

Para ser um líder a frente da mudança, é hora de adotar uma nova maneira de liderar. É hora de contrariar o velho sistema e forjar novas tendências, novas culturas e novas empresas. E você pode fazer isso, adotando essas cinco tendências de liderança em 2022.

1. Criar uma cultura de bem-estar

Segundo a pesquisadora Sara Evans-Lacko, da London School of Economics, o Brasil perde 78 bilhões de dólares com a queda de produtividade causada pela depressão.

Devemos criar culturas onde o bem-estar dos funcionários esteja em primeiro lugar. Mudanças como essa começam no topo, e os líderes devem dar o exemplo. Cada pessoa na equipe executiva de uma empresa deve estar comprometida com o bem-estar no local de trabalho, modelando um estilo de vida holístico onde as principais prioridades são a saúde física, emocional, mental e espiritual. As pessoas anseiam por mais equilíbrio e bem-estar na vida, e os líderes que ignorarem ou resistirem a abordar isso serão deixados para trás.

As empresas devem oferecer serviços que abordem a saúde mental e o bem-estar financeiro, espiritual e social. Criar um ambiente de apoio requer investimento em treinamento. Treinamento sobre como criar segurança psicológica, onde os funcionários se sintam seguros para falar sobre seu bem-estar; sobre como ser mais empático e quando reconhecer que um funcionário está sofrendo; para falar sobre questões desafiadoras. Treinamento sobre como ter uma vida mais saudável.

E, finalmente, mantenha os canais de comunicação abertas. Melhorar e manter o bem-estar é um processo. A melhor maneira de ajudar os funcionários a permanecer no caminho certo é discutir seus progressos e retrocessos abertamente. Os líderes devem verificar regularmente com seus funcionários para ver como as coisas estão indo e ter conversas significativas sobre bem-estar todas as semanas.

2. Investir no desenvolvimento de seus funcionários

Um estudo publicado em 2013 por pesquisadores da Universidade de Oxford estima que pouco menos de 50% do total de empregos dos EUA correm um alto risco de automação nas duas décadas seguintes. Não admira que haja tanto medo em torno do futuro do trabalho. Não entendemos o que isso significa para nossas carreiras e meios de subsistência. É inquietante não entender como serão os empregos no futuro. Por isso, os líderes devem adotar a qualificação de sua força de trabalho.

Os líderes podem começar criando um programa de aprendizado e desenvolvimento focado no aprendizado de novas tecnologias e software, conhecimentos avançados e habilidades específicas do trabalho, e ensinando técnicas eficazes de gerenciamento e liderança, incluindo habilidades como empatia, escuta, resolução de problemas e comunicação. 

Programas eficazes de qualificação incluem rotação de cargos, a prática de mover funcionários entre cargos e ampliação de cargos, adicionando novas tarefas e responsabilidades ao trabalho de um funcionário. Por fim, considere investir em atividades de coaching e mentoring, que são altamente eficazes.

3. Abordar a desigualdade em sua cultura

De acordo com o relatório recente da Gallup,  Employee Burnout: Causes and Cures , “76% dos funcionários tem burnout no trabalho às vezes, enquanto 28% dizem que ficam esgotados ‘com muita frequência’ ou ‘sempre’ no trabalho”. E o principal fator que causa burnout? Tratamento injusto dentro do ambiente de trabalho.

Os líderes têm a responsabilidade de garantir que o local de trabalho seja o mais justo e equitativo possível. Não é fácil saber por onde começar, mas o ponto inicial pode ser o pagamento. Avalie a remuneração dos funcionários, analisando-a de todos os ângulos, como gênero, função e diferença entre colaboradores individuais, gerentes de nível médio e liderança executiva. Em seguida, resolva as desigualdades. 

Outras formas de combater a desigualdade no local de trabalho? Invista em treinamentos de vieses cognitivos que se concentrem no compartilhamento de experiências e no ensino da interseccionalidade. Crie espaços seguros para que pessoas sub-representadas sintam-se apoiadas e dê a elas uma plataforma para compartilhar suas histórias. Revise e reformule suas práticas de contratação, olhando além das redes homogêneas, para que você possa explorar grupos de candidatos mais diversos. 

4. Construir a infraestrutura de tecnologia

Não há dúvida de que o futuro é construído sobre tecnologia e a grande maioria das empresas e governos não está preparada para o que está por vir. As compensações terão que ser feitas, como investir na infraestrutura de sua empresa ao invés do seu crescimento. Mas de que serve o crescimento se não for sustentável e se você não for ágil o suficiente para mudar quando a próxima crise ou disrupção ocorrer?

Não há melhor momento para investir em sua infraestrutura de tecnologia como o presente. Sente-se com sua equipe de liderança e planejamento. De que tecnologia precisamos agora? O que podemos precisar no futuro? Como construímos um sistema ágil que pode mudar à medida que mudamos? Em seguida, crie o roteiro. Sem um roteiro, não será fácil chegar onde você quer. Delineie prioridades, investimentos e talentos necessários. Em seguida, busque soluções para suas principais prioridades ou projetos que são mais fáceis de executar.

5. Abraçar a mentalidade de um experimentador

Não há dúvida de que mais rupturas virão. O que foi feito ontem provavelmente não funcionará amanhã. Para estar pronto para o futuro, é preciso estar disposto a tentar coisas novas, experimentar.

Não tenha medo de experimentar coisas novas. Na verdade, quanto mais você se acostumar a se adaptar, aprender, crescer e girar, melhor será. Teremos que aprender a lidar com a instabilidade econômica por algum tempo, e adotar essa mentalidade vai te ajudar a se preparar para o que for acontecer.

Agora é a hora de abraçar essas tendências de liderança. Há tantas oportunidades a serem aproveitadas neste momento de grande inquietação. Prepare-se para o que virá a seguir e crie uma organização que muda a vida de seus funcionários, clientes e do mundo.

Fonte: entrepreneur.com


Neurociência aplicada em diversas áreas do conhecimento para te desenvolver de dentro para fora.

Com os conhecimentos fornecidos pela Neurociência, é possível conhecer o que motiva, emociona e engaja os funcionários dentro da organização!

Conheça o curso Neurociência Aplicada ao Ambiente Corporativo e descubra como melhorar o ambiente de trabalho através do conhecimento científico.

Clique aqui para saber mais!